Oncologia volta a ser tema de preocupação na Câmara

0

 

Na última semana, o Jornal do Pampa veiculou uma reportagem elaborada pela assessoria de imprensa da prefeitura a respeito da oncologia, com o título: “Rateio para pagamento da diferença do valor é arriscado, alerta TCE”. Na sessão plenária desta terça-feira, 5 de dezembro, com o jornal em mãos, o vereador Luis Fernando Torres (Boca PT) leu trechos da reportagem e afirmou estarem incorretos.

“Ou eu não entendo das coisas ou alguém dentro da administração não entende. Porque o que foi dito lá é que seria pago para Cachoeira, então se alguém foi no TCE, não explicou direito o que tinha que explicar. Porque ninguém disse que teria que ser repassado para Cachoeira ou para o Hospital, o trato feito pelos demais municípios era repassar recurso para o consórcio de saúde do vale do Jacuí e este encaminhar para o hospital, o que é totalmente legal, tanto que nós somos participantes do consórcio de saúde. As reuniões da oitava coordenadoria vem acontecendo desde março, inclusive de Caçapava só foi o secretário de saúde, que chegou lá e disse que não tinha autonomia para definir nada, então não sei o que ele foi fazer lá. O pessoal foi buscar vias políticas em Brasília, foi uma comitiva, o único município que não mandou representante foi Caçapava do Sul. Então eu não sei o que foram fazer no Tribunal de Contas, porque nada do que foi dito aqui é fato (se referindo a reportagem)”, afirmou o vereador.

O vereador relatou ainda que acompanha as notícias de Cachoeira do Sul, já alertou que foi noticiado na imprensa da cidade vizinha que haverá fila para atendimento para os pacientes de Caçapava do Sul. “Já foi divulgado na mídia de Cachoeira, que vai ter fila para o atendimento da oncologia. Pra mim prioridade é a vida das pessoas, isso que estão fazendo é brincar com a vida dos outros”.

“A questão da oncologia, faz quase 60 dias que estivemos em Cachoeira, e a Comissão de Saúde não recebeu um manifesto do andamento, das tratativas, a gente acompanha por jornais. As informações que nós temos acesso são de Cachoeira, com o secretário de saúde, o procurador jurídico de Cachoeira, porque não temos informações do município de Caçapava, porque eu não vi, nestes 60 dias um pronunciamento do secretário municipal de saúde, ou em rádio ou em veículos de comunicação, falando sobre este tema. Nós não vimos um pronunciamento, um documento encaminhado para esta casa, para a comissão dizendo das tratativas, se estão negociando. O que tem ali é mentira (se referindo a reportagem da última semana), o município de Caçapava não vai passar dinheiro para Cachoeira. As pessoas já estão enfrentando filas para fazer solicitação do tratamento de oncologia e esta casa não recebe nenhuma informação. Aí tem a cara de pau de pedir harmonia e respeito entre os poderes”, finalizou Marquinho Vivian (PMDB).

 

 

Por Carol Petrin – MTE 17.708/RS

Deixe seu comentario

Comentários desativados.