Passo do Umbú: moradores reivindicam por estradas e ponte

0

 

“Foram mais de 20 sacos de cimento levados pela água. Sem contar a mão de obra e o restante dos materiais”, relatam os moradores do Passo do Umbú, próximo a localidade de Minas do Camaquã. Eles contam que vêm enfrentando problemas desde fevereiro, até que reuniram um grupo, adquiriram todos os materiais necessários e no dia 14 de julho deste ano, concluíram a ponte do Passo do Tio Pica.

Porém, depois disso, o local foi alvo de temporais e cheias, que destruíram o trabalho da comunidade, impedindo, novamente, o tráfego no local, impossibilitando o transporte escolar e de carga dos produtores da região.  “De mentiras nós já estávamos cheios. Antes não tinha como passar por ali, aí fomos falar com o prefeito, que garantiu o maquinário e a mão de obra para fazer a ponte, por isso compramos o material. Porém trouxeram o maquinário, levaram para revisão e nunca mais voltaram. Perguntei para o secretário de obras onde estava o maquinário, e já faz mais de mês que ele diz que está no Passo dos Enforcados”, afirmou João Teixeira.

“Não tem outra alternativa, é má vontade, eles não querem arrumar”, desabafa Teixeira, que comentou ainda que um de seus funcionários se acidentou de moto nas proximidades da ponte, quando caiu em um buraco. “Hoje, para passar ali, só de moto, e tem que ser empurrando”.

Miguel Kayser da Rosa, afirma que a ponte foi concluída no dia 14 de julho (sexta-feira) e a promessa da secretária de obras era de no dia 17 de julho (segunda-feira) a equipe iría até o local para fazer as cabeceiras da ponte. “O secretário é uma pessoa boa, mas como profissional não está indo bem. Desde fevereiro que mentem”. Miguel tem um filho que está no terceiro ano do Ensino Médio, Gabriel, que ficou cerca de 15 dias sem poder frequentar a escola porque não havia transporte em virtude da falta de passarela no local.

“O secretário garantiu que se a ponte estragou depois da ação da comunidade, a prefeitura tem o dever de arrumar”, destacou João Teixeira.

O vereador Mariano Teixeira (PP), vem acompanhando as dificuldades que os moradores da região tem enfrentado. No começo do mês de outubro ele apresentou um requerimento baseado nas solicitações da comunidade que relatou estar sem condições de tráfego, com muitos buracos e valas que cortam a estrada, inclusive sem transporte escolar, fazendo com que alunos percam aulas, acarretando em prejuízos inclusive para os moradores que não conseguem chegar nas suas casas.

Já no dia 17 de outubro, o vereador fez uma nova solicitação, desta vez, um pedido de providência. Na justificativa do documento consta informações que em julho deste ano a comunidade havia feito a ponte do Passo do Tio Pica, com recursos próprios e que a Secretaria de Obras havia ficado com a responsabilidade do aterramento das cabeceiras da ponte, como não foi feito, acarretou no estrago da passarela feita pela comunidade.

“Já entrei com requerimento e pedido de providências para que seja solucionado o problema da passarela e da estrada mas até agora nada. É inadmissível os produtores da localidade  serem tratados desta forma, com tanto desrespeito por parte da administração municipal. Se a prefeitura tivesse feito o combinado e aterrado as cabeceiras e desentupido os bueiros a passarela não tinha ido por água abaixo”, comenta o vereador.

Na última semana, o vereador foi até a localidade, a fim de acompanhar o que os moradores da região tem vivenciado. “Além da ponte ter sido levada pela água, não tem estrada, tem locais que as valetas atravessam a estrada, além de muitos buracos”.

A assessoria de imprensa da prefeitura informou que a Secretaria de Obras do município está firmando uma parceria com a Secretaria de Obras de Santana da Boa Vista, para adquirir o material e recuperar a passarela.

 

Por Carol Petrin – MTE 17.708/RS

Deixe seu comentario

Comentários desativados.